Notícias
26/01/2018

Saúde mental e emocional também são prioridades em Barueri

Cuidar da mente é cuidar da vida. O Brasil que o diga: segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgadas em 2017, o país possui a maior taxa de transtorno de ansiedade do mundo (9,3%) e ocupa a 5ª posição nas taxas de depressão (5,8%). Em níveis globais, a ansiedade afeta cerca de 322 milhões de pessoas (4,4%) – 18% a mais do que há dez anos. Com relação aos transtornos de ansiedade, o número chega a 264 milhões (3,6%).

Os números preocupam porque saúde mental significa bem-estar e qualidade de vida. Para se ter uma ideia, a depressão é a doença que mais incapacita no mundo e é também a principal causa de suicídios (cerca de 800 mil casos por ano).

Ciente da importância de manter as mentes sãs e saudáveis, Barueri dedica-se cada vez mais aos cuidados nessa área. “Em nosso município contamos com uma rede de atenção psicossocial composta por diferentes pontos de atenção, isto é, vários serviços com complexidades diferentes para o cuidado em saúde mental”, detalha Ana Paula Briguet, diretora técnica de Saúde Mental no município. 

O município, inclusive, tem alcançado resultados significativos dentro da reforma psiquiátrica. É o caso da diminuição do número de internações e a reinserção ao convívio social, através da residência terapêutica, de quatro moradores que estiveram internados por mais de 10 anos no Hospital Psiquiátrico Vera Cruz, em Sorocaba.  

UBS
Nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) há psicólogos, psiquiatras, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos. Além disso, a UBS do Jd. Belval também conta com a equipe do Consultório na Rua: um trabalho que amplia o acesso e a qualidade da atenção integral à saúde da população em situação de rua. “Essa equipe busca promover e garantir o cuidado articulado de saúde e a inserção social através do vínculo no espaço de rua”, explica a Ana Paula  

CAPS
Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) são outros importantes equipamentos na luta pela saúde mental. Espaços abertos e comunitários, os CAPS realizam tratamentos mais humanitários e que incluem a família para que seus usuários não sejam exilados ou excluídos do convívio social. “Eles têm o objetivo de melhorar a qualidade de vida, incluindo o cuidado pautado na garantia de direitos, na liberdade e na cidadania”, reforça a diretora.

Barueri possui três unidades: o CAPS Álcool e outras Drogas (CAPS III AD – CRAD), que atende pessoas dependentes do uso de álcool e drogas; o CAPS II Adulto - Estação, que acolhe pessoas com sofrimentos psíquicos; e o CAPS IJ – Trilha (Infantojuvenil), que atende crianças e adolescentes vítimas de transtornos severos e persistentes. Atualmente, eles acolhem cerca de 700 pacientes e realizam uma média de 5 mil procedimentos por mês. Só em Barueri, os CAPS já atenderam mais de 16 mil pessoas até hoje.  
 
Portas abertas
É importante saber que os CAPS são porta aberta, ou seja, não precisam de encaminhamento e nem marcação de consulta, estão à disposição de quem chega. “Nos CAPS não é necessário realizar o agendamento para primeira consulta. O acolhimento ocorre de segunda a sexta-feira e ao chegar a alguma das unidades o cidadão será acolhido, ouvido e avaliado por uma equipe técnica especializada”, garante Ana Paula. A identidade também é preservada.  
 
A especialista alerta: “sabemos que muitas pessoas com sofrimento mental e usuários de drogas são alvo de estigmas que os excluem do direito ao cuidado à saúde, e diminuir as barreiras para o acesso ao cuidado é fundamental.  É importante as pessoas conhecerem os serviços de saúde mental e estarem próximas porque é no contato que pode diminuir as opiniões negativas que se têm em relação aos usuários”.  
 
Briguet também frisa sobre as internações. “Há uma grande expectativa em relação a internação como ‘salvação’ para as questões de saúde mental. A internação muitas vezes é necessária, principalmente quando o usuário está em um momento de crise intensa, porém, ela é parte de um processo de tratamento e não a única opção”.  
 
Serviço 
CAPS Adulto - Estação
Rua Marcelina Chalupe, 306, Boa Vista – Barueri 

Fone: (11) 4191-9708 
CAPSi-Trilha (Infância e adolescência) 
Endereço:Rua Guilhermina Carril Loureiro, nº 60, Centro - Barueri? 

Fone: (11) 4199-8106 
CAPS-AD II CRAD – Centro de Referência em Alcoolismo e Drogadição  
Avenida Trindade, 437, Bethaville - Barueri  

Fone: (11) 4706-4712 / 4706-4826 


Fonte: Barueri SP Gov